terça-feira, 26 de agosto de 2008

Mundo de lá


*


A hora em que mais doeu
foi quando você acenou

E tudo o mais fez-se neblina.

Turva,
Mil graus abaixo de zero.

E quando mil pensamentos
voltaram descarrilados
a mesma estação de metrô

De tantas
chegadas e partidas.

Eu trocaria a imortalidade
- se eu assim a tivesse -
por mil vezes de teu sono profundo

Por teus sonhos difusos
sem as despedidas de inverno

Sem esse medo da vida.



(Jessiely Soares)

3 comentários:

Poeta Vagabundo disse...

trocaria tudo também somente para ficar sempre perto de vc
:(

te amo!
ficou linda a poesia
:~

de saudade dolorida que sentimos

Alexandre Martins disse...

Por teus sonhos difusos
sem as despedidas de inverno

Sem esse medo da vida.
L

indo comos empre...

Beijos

Urariano Mota disse...

Belo poema. Gostei muito. Parabéns.