segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Arvoredo

                                        http://www.mudasnativasflorestais.com/images/aroeira.JPG


Há dias em que choro muito
depois me consolo
porque a vida é assim.

Tudo tem seu sentido,
Deus me contou isso
em segredo.

Mesmo quando não parecia ter lógica
se Picuí me chamava de Aroeira.

Depois ele também me confessou
que era uma árvore danada
que não gostava de ser derrubada.

Não sou fácil de derrubar.
Mas de vez em quando
desmorono de tão mole.

E qualquer vento faz de mim o que bem quiser.






( Jessiely Soares )

1 comentários:

Jeniffer Haddad disse...

Adorei o poema, muito criativo ^.^