quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Da tua eternidade

*


Na praia
entardecida,
avermelhada,
morta e ferida

eu assisto
o espelho
da tua tarde.

das ondas, das areias,
das pedras com as quais converso

eu te reconheço,
adormecido,
num canto eterno

mesmo que sejas,
de uma sutil efemeridade...

Sempre que estou sozinha,
eu te desenho o mais perene,
dentre toda a eternidade.




(Jessiely Soares)



3 comentários:

Poeta Vagabundo disse...

poesia essa daquelas pra se viver "dentre a enternidade"

:D

te amo!

Poeta Vagabundo disse...

essa é como aquelas que devem ficar "dentre toda a eternidade"

perfeito.

Te amo!

Flávio Mello disse...

encantador vc encantadora,,,

força na pena e luz no poema!

Beijo

FM