quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Da universal distância



.

Quero
com um desses quereres indizíveis

como a uma presença
que indefinidamente se espera.

Tal qual esse teu cheiro,
que nem sei de onde vem

e pousa aqui, com asas que queimam

insone, comigo, na minha janela.



(Jessiely Soares)



Imagem de: Julieta Domingos

1 comentários:

AC Rangel disse...

Por que vc faz isso? Por que me escraviza assim? Por que vc faz poemas perfeitos? Não responda. Apenas continue a fazer isto comigo. Apenas continue a ser poeta.
Me visite. Sou teu seguidor.

beijo