terça-feira, 30 de março de 2010

Cria





Menina,

se você já soubesse me ler
poderia ser que eu me encabulasse
e não escrevesse mais
nenhum poema pra você.

Mas você ainda não me atingiu aquela fase,
você ainda lê tatu,
o lobo,
o bobo,
o dado
e idade,

enquanto eu vejo o jornal
no rec-rec da cadeira de balanço.

Um dia você sentará ao meu lado
e me dirá, sem titubear, duas frases de Dostoiévski,
assim, na lata
sem a menor compaixão.

E então, vou esconder meus poemas
menina,
minhas rimas são tão pobres!

para você
(por tão grande amor)
eu só escrevo

com o coração, coração
coração.




(Jessiely Soares)

1 comentários:

Poeta Vagabundo disse...

Pois uma coisa é certa, ela vai ficar toda orgulhosa da mãe, que escreveu tantas coisas belas pra ela