quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Annie


De que matéria
você é feita
para ser
metade calmaria
e a outra corredeira?

Qual o anjo
tão bendito
esculpiu
o seu sorriso
e suas
graciosas bochechas?

Menina
que se coube inteira
dentro da minha vida.

Menina,
musa dos meus poemas
Misto de perfume
brinquedos e fantasia.

De que manhã
foram os seus olhos,
de rumos ignotos,
criados e pintados
para serem belos?

De que noite
foram feitos seus
sonhos?
De quais constelações,
princesas e castelos?

Menina,
que foi o meu útero
que é meu arbítrio,
que é meu desejo.

Menina,
que adormece a casa
quando adormece
sem me dar um beijo.

Meu contato direto com o infinito...
De que lugar
tão vasto e bonito
você saiu voando
para pousar em mim?




(Jessiely Soares)

8 comentários:

.Leonardo B. disse...

[palavras em forma de borboletas; soltas do seu casulo, perdemos de vista os seus voos, mas soubemos como cuidamos de as alimentar, dentro de nós]

um imenso abraço, Jessiely

Leonardo B.

Clarinhaaa disse...

Nossaaa... que leveza nas palavras..

sucesso total!!!

bjs

Poeta Vagabundo disse...

Perfeito, imagino ela quando crescer e ler as coisas maravilhosas que a mãe dela escreve :D

ELSON TEIXEIRA CARDOSO disse...

Uma das coisas mais belas que já li. A mãe, que tem a filha como poesia e canta essa poesia com ternura. Pura sensibilidade. Emocionou-me.
Parabéns!!

ELSON TEIXEIRA CARDOSO disse...

Uma das coisas mais belas que já li. É possível sentir a alma das palavras. Emocionou-me.
Parabéns!!

Allanna Sanches disse...

Que coisa mais bela!! lindo, lindo, lindo!! adoro ler você...

RAUL POUGH disse...

Eu achei que tudo o mais que já se escreveu sobre este tema, poderia ir para o arquivo morto. Este poema nasce com o dom da permanência. Lindíssimo, é suficiente. Muitos adjetivos aqui e eles começariam a brigar entre si. Bj.

Thais disse...

Encantador, leve e intenso. Retrato de um verdadeiro amor...
Parabéns!!!